4 micoses mais comuns e como tratá-las

A micose não atinge somente as unhas, mas também a pele e o couro cabeludo, e ocorre com mais frequência em ambientes de maior umidade, tanto no verão quanto no inverno. A infecção é causada por fungos, os quais vivem pacificamente na superfície da pele, mas causam o quadro quando conseguem penetrá-la.

Os fungos se alimentam de queratina e procuram se instalar nas regiões que mais possuem esse nutriente, por isso a condição tratada neste artigo pode surgir também em áreas como virilha, pescoço e órgãos genitais. A micose causa danos à estética e também é um fator importante para o surgimento de vírus e bactérias no organismo.

O que é micose

É considerada um problema dermatológico bastante comum, já que os fungos estão sempre presentes no corpo e no meio ambiente, preferencialmente onde houver umidade. Pela frequência, quase todas as pessoas já tiveram uma micose em algum momento da vida ou possuem predisposição para ter o quadro.

Os fungos não são visíveis a olho nu, mas são muito comum em praias, piscinas, nos materiais de manicure e pedicure, em animais de estimação, no compartilhamento de objetos e peças pessoais, sendo de rápida proliferação quando se encontram num ambiente quente e úmido para viver. São mais de 100 espécies de fungos que podem afetar alguma área do corpo.

A possibilidade de ter a infecção tratada neste artigo aumenta quando o indivíduo está com baixa imunidade, possui uma vida estressante, não se alimenta adequadamente e não cuida corretamente da higiene corporal. Não há risco de vida para quem tem o quadro, mas nem sempre o tratamento é fácil, e ela pode surgir em várias partes do corpo, até mesmo com outras denominações.

O sintoma é uma mancha vermelha com relevo e que gera coceira, podendo descamar a pele e alterar a estética. Para evitar o surgimento da condição, use roupas íntimas de algodão, não compartilhe toalhas, sabonetes, peças íntimas e de praia, não se sente na borda das piscinas, seque bem as roupas ao sol, evite pisar descalço em chão úmido, enxugue bem as partes do corpo após o banho, use sempre materiais de pedicure e manicure esterilizados.

Quais os tipos de micose e tratamento

A mais conhecida é a que surge nas unhas e nos pés, mas há várias muito populares, com outros nomes. Conheça as mais comuns e saiba como tratá-las!

1 – De unhas: muito frequente, esse tipo deforma as unhas e as torna mais amareladas ou esbranquiçadas e quebradiças. O contágio é feito pelo uso de instrumentos de manicure ou pedicure sem esterilização adequada. Evite sapatos fechados por muito tempo, para não agravar o problema, e use pomadas de antimicóticos ou esmaltes especiais com amorolfina.

2 – Pé de atleta ou frieira: causa rachaduras nas solas dos pés e entre os dedos, com placas brancas e que coçam. O contágio pode ter ocorrido por a pessoa andar com os pés descalços, e é preciso usar cetoconazol para tratá-lo.

3 – Tinha: aparece na virilha masculina, no couro cabeludo, nas unhas e pés. Pode surgir pelo uso de sungas molhadas e pode atingir a genitália. É tratada com pomada antifúngica.

4 – Pano branco: é a infecção de praia, mesmo não sendo adquirida na praia. É mais comum no verão e se torna mais evidente na presença do sol. Atinge peles oleosas e pode ser transmitida pelo uso de objetos pessoais.

5 – Sapinho: é a micose que surge na boca pelo fungo cândida e apresenta bolinhas brancas na boca e na genitália. É transmitida pelo contato físico e pode atingir bebês que são muito beijados.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como dermatologista em São Paulo e Belo Horizonte!

Por: Dra. Ana Paula Coelho

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *