Alopecia: sintomas, causas e tratamento

A alopecia nada mais é que uma condição que se reflete na perda de pelos ou cabelos do couro cabeludo e/ou demais regiões do corpo. A maior particularidade dela se dá pelo fato de que essa perda ocorre em áreas ovais e/ou arredondadas do couro, conhecidas como “peladeira”.

É possível ainda que haja perda total de pelos no corpo (incluindo até as mais improváveis áreas, como os cílios). A condição, apesar de pouco conhecida, manifesta-se em algo como 1% a 2% de toda a população mundial.

A seguir, neste artigo, confira quais são as principais causas, sintomas e tratamentos do problema.

O que leva ao desenvolvimento da alopecia?

Não há na comunidade médica consenso sobre os fatores que levam ao desenvolvimento da alopecia. Porém, sabe-se apenas que ela consiste em uma doença autoimune, ou seja, que se manifesta quando o sistema imunológico do paciente “se confunde” e passa a atacar e destruir células e tecidos saudáveis.

No caso em questão, os “alvos” desse ataque são os elementos responsáveis pela formação do pelo no corpo.

Estima-se, porém, que alguns fatores de risco estejam atrelados à condição (ou seja, fatores que aumentam as probabilidades de ela se desenvolver). São eles:

  • histórico na família de indivíduos com a doença;
  • ocorrência recente de algum “evento” de grande relevância para o aspecto emocional, como o desenvolvimento de uma doença, um trauma ou uma gravidez;
  • cargas elevadas e cotidianas de estresse.

Resumidamente, essa é uma doença de pele comumente relacionada a aspectos mais emocionais e psicológicos do indivíduo.

Sintomas mais característicos da alopecia

Além do mais característico sintoma, que consiste na perda de cabelo do couro cabeludo ou de pelo de alguma parte do corpo, também são sinais da doença:

  • coceira ou sensação constante de queimação na área de queda de pelo/cabelo;
  • os pontos onde ocorre a queda tendem a ficar arredondados e lisos (e, possivelmente, com uma coloração mais rosada);
  • alterações nas unhas (principalmente no “relevo” da mesma, ficando com o aspecto cheio de furinhos);
  • associação com demais doenças autoimunes, tais como vitiligo, lúpus ou tireoidite.

Há tratamentos disponíveis para a alopecia?

O tratamento é realizado de diversas maneiras. São as principais:

  • injeção de componentes esteroides diretamente na região afetada pela doença de pele;
  • aplicação de medicamentos na pele afetada;
  • realização de sessões de fototerapia na área afetada (também conhecida como terapia por meio da exposição à luz ultravioleta);
  • alguns medicamentos ministrados via oral – ou seja, pela boca.

Um ou mais métodos podem ser necessários para o tratamento – ou seja, tudo vai depender da condição e da progressão da doença em cada paciente.

Agora você já conhece mais sobre a alopecia, assim como com relação aos sintomas, causas e tratamentos da doença. Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como dermatologista em São Paulo e Belo Horizonte!

Por: Dra. Ana Paula Coelho

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *