Como se livrar de vez das cicatrizes de acne?

Quando o assunto é acne, milhões de adolescentes no mundo são especialistas no assunto e, muito provavelmente, já experimentaram milhares de técnicas e dicas passadas de boca a boca, na extenuante luta contras as espinhas e, principalmente, contra as cicatrizes que elas deixam no rosto.

Quem já não passou por isso? É realmente muito constrangedor, e não apenas na adolescência, mas em qualquer momento da vida em que a aparência é um fator importante para a autoestima.

Como surgem as cicatrizes?

As cicatrizes não aparecem apenas quando a espinha é espremida, mas também quando a pele tenta, inutilmente, regenerar-se de cistos e nódulos profundos.

Vários são os tipos de cicatrizes que podem surgir na face ou no tronco devido ao surgimento prévio de espinhas. Algumas podem ser manchas escuras mais superficiais, outras cicatrizes são atróficas distensíveis ou não-distensíveis ( ou sejam que amenizam ou não com o estiramento da pele respectivamente). Podem também ser puntiformes ( ice picks),  ou mesmo queloidiformes e formar pontes na pele.  Cada tipo possui um prognóstico e tratamentos direcionados e específicos. E o paciente pode ter um tipo de cicatriz predominante ou vários tipos de lesões associadas.

De qualquer forma, eliminar estas cicatrizes nem sempre  é uma tarefa simples para o médico dermatologista e também para o paciente, que precisará ter paciência e disciplina.

O mais importante sempre é a prevenção das cicatrizes, ou seja, o tratamento precoce das espinhas. O fato é que existem cremes e pomadas específicos para o tratamento da acne. Entretanto, o uso de qualquer produto no local da acne ou o hábito de se auto-medicar pode provocar uma inflamação ou irritação local capaz de dificultar um pouco mais a remoção das marcas indesejadas futuras. Além disso, dependendo do grau de inflamação das espinhas do paciente podem ser necessárias medicações orais como antibióticos, anticoncepcionais para mulheres, isotretinoína, dentre outras de acordo com cada caso. Geralmente, sabonetes, tônicos, loções de limpeza e filtros solares específicos para pele oleosa são sempre associados ao tratamento da acne.

Quando esse tratamento é bem feito e dependendo da tonalidade da pele do paciente, as marcas e cicatrizes da acne podem ser prevenidas. Mas quando elas já existem, calma, existem tratamentos para amenizá-las.

Quais os tratamentos indicados para amenizar as cicatrizes de acne?

Primeiramente o paciente tem que ter em mente que todos os tratamentos vão melhorar o aspecto da pele e as cicatrizes de forma gradual e progressiva. Nenhuma técnica ou sessão isolada vai resolver o problema e deixar novamente a pele com aspecto de “bundinha de bebê”. Essa pele lisinha e sem marcas que os bebês e crianças pequenas possuem são reflexo de colágeno e elasticidade de sobra na pele. Portanto, a maioria das técnicas e procedimentos que visam a melhoria do aspecto, relevo e textura da pele necessitam de fazer um estímulo e remodelamento do colágeno na pele.

O uso de produtos em casa contendo ácidos retinoicos, glicólico, salicílico, dentre outros geralmente são indicados pelo dermatologista de acordo com cada pele.

A realização de limpeza de pele periodicamente para remoção de cravos também são sempre bem vindas por melhorarem a qualidade e aspecto da pele.

Uma das técnicas mais tradicionais é a realização de peeling físicos e químicos superficiais para remover a pele morta e renovação celular. Essas técnicas não conseguem atuar nas lesões mais atróficas e profundas. Mas ajudam a fechar os poros que geralmente são mais dilatados nesse pacientes e melhorar a textura da pele. Já o peeling Cross é uma técnica mista que mescla peelings médios/profundos nas cicatrizes mais afundadas e peeling superficial no restante da face. Este último possui resultados interessantes no tratamento dessas lesões.

Para o tratamento de cicatrizes de acne distensíveis, ou seja aquelas que melhoram com o estiramento da pele, podem ser indicadas técnicas como a subcisão cirúrgica ou tunelização dérmica. Com esses procedimentos cirúrgicos utilizam-se agulhas específicas para romper as traves de fibrose que retraem e afundam a pele em algumas regiões. É possível, portanto, subir a pele e deixar sua superfície mais uniforme.

Outra técnica que pode ser indicada é a indução percutânea de colágeno com agulhas ( IPCA®) ou microagulhamento cirúrgico.  Utiliza-se um aparelho manual, um rolo com várias microagulhas, para estimular a síntese de um novo colágeno na região. É um procedimento cirúrgico, sendo necessário anestesia tópica, bloqueio e anestesia infiltrativa do local. Para o tratamento das cicatrizes de acne é necessário promover uma injúria profunda, ou seja, atingir camadas mais profundas da pele, e nesses casos são utilizados rolos com microagulhas de 2 a 2,5mm.

Os lasers fracionados ablativos como os lasers de CO2 e erbium 2940nm são também recursos muitos eficazes para o remodelamento do colágeno e tratamento das cicatrizes de acne. Outros lasers não-ablativos podem ser opções para pacientes que não querem ou não podem passar por um período de recuperação maior no pós procedimento, mas geralmente são necessárias um número maior de sessões.

Outras opções terapêuticas para a melhoria das cicatrizes de acne incluem a radiofrequência microagulhada, microinfusão de medicamentos na pele (MMP®), dermoabrasão, remoção cirúrgica de cicarizes, aplicação de ácido polilático ( sculptra®) e preenchimento com ácido hialurônico.

Na minha opinião, a associação de técnicas é sempre a melhor indicação. O médico dermatologista traçará um plano terapêutico dependendo das características das suas lesões e seu tipo de pele. Dessa forma, conseguimos uma melhora gradual, progressiva e satisfatória.

Contudo, aqui vai um último conselho: mesmo que não tenha iniciado nenhum tratamento ou se já iniciou algum tratamento nunca se esqueça de usar diariamente protetor solar. O sol excessivo ajuda a piorar as cicatrizes e o resultado do tratamento fica ainda mais lento.

Quer saber mais sobre as cicatrizes da acne? Entre em contato comigo! Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como dermatologista em São Paulo e Belo Horizonte!

Por: Dra. Ana Paula Coelho

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *