Dermatite: saiba mais sobre o problema

A dermatite é uma doença de pele inflamatória, que pode aparecer em qualquer parte do corpo, em qualquer idade. Ela pode gerar vermelhidão, coceira, bolhas, dor, descamação, ressecamento e espessamento da pele, entre outros sintomas.

As causas da dermatite podem variar, de acordo com cada paciente. Porém, nem todos os tipos de dermatites têm cura, e por isso que é importante consultar um médico dermatologista, para que a doença seja identificada e o tratamento adequado aplicado.

Como existem diversos tipos e causas, vamos citar para vocês alguns tipos mais comuns.

Dermatite seborreica

Esse tipo de dermatite é crônica e causa escamação e vermelhidão na pele, principalmente no couro cabeludo. A causa é desconhecida, assim como muitas doenças, mas pode estar inteiramente ligada ao estresse, baixa imunidade, alergias, fatores genéticos, oleosidade do couro-cabeludo e proliferação fúngica da espécie Malassezia furfur.

Os sintomas desta dermatite vão e vêm, por isso fique sempre atento.

Tratamentos: O mais importante é manter o cabelo sempre limpo e evitar o excesso de oleosidade do couro-cabeludo. Shampoos com agentes antifúngicos, soluções capilares anti-inflamatórias, óleos vaselinados com ácido salicílico, medicações orais com lactobacilos são opções para as lesões capilares. As lesões de pele podem ser tratadas com cremes e pomadas anti-fúngicas e anti-inflamatórias.

Dermatite atópica

Um dos casos mais comuns nos consultórios é a dermatite atópica. Também é considerada uma doença crônica e recidivante. Geralmente surge  na fase inicial da vida e persiste durante toda a infância.  Na maioria das vezes ela regride na adolescência, mas pode continuar até a vida adulta.

Suas lesões mais clássicas acometem as regiões de dobras atrás dos joelhos e cotovelos, mas podem acometer todo o corpo. Ocorre nesta patologia uma anormalidade da barreira cutânea da pele. Essa alteração promove um ressecamento contínuo e uma dificuldade da pele se manter hidratada. Dessa forma a pele da criança fica desprotegida dos agentes externos, sendo mais propícia a infeções e alergias de pele.  O principal sintoma dessa doença é a coceira o que leva ao surgimento de lesões, vermelhidão, placas e crostas.

Tratamento:  O mais importante são as medidas comportamentais como evitar banhos quentes e demorados, não usar buchas no banho, usar hidratantes dermatológicos 2 a 3 vezes ao dia, evitar contato com objetos que acumulam poeira e ácaros como tapetes, cobertores, cortinas e bichos de pelúcia. Nas crises são necessárias pomadas antibióticas e anti-inflamatórias e medicações orais como anti-histamínicos e antibióticos, dentre outras medidas.

Dermatite numular

Bastante presente em pessoas de meia idade, por conta do ressecamento da pele. A dermatite numular pode evoluir da descamação para bolhas e formação de crostas. Precisa-se tomar cuidado, principalmente no inverno, para que a dermatite não se torne em feridas intensas, por isso é sempre recomendável o acompanhamento com o dermatologista.

Dermatite de contato

Este tipo de dermatite é dividido em duas causas: a irritativa e a alérgica.

alérgica consiste em sensibilidade ou alergias de algumas substâncias. A irritação da pele acontece no contato do indivíduo com a substância da qual é alérgico e é manifesta logo no primeiro ou segundo dia após o contato. As lesões podem surgir no local de contato, como também lesões à distância. Com o teste de contato ( patch test) é possível identificar as substâncias causadoras da dermatite.

irritativa ocorre quando a pele fica irritada ao entrar em contato com produtos irritativos ácidos, detergentes, produtos químicos, sabonetes, cremes, etc.

As duas causam muita coceira, vermelhidão, bolinhas da pele e sensação de queimação.

Tratamentos: O mais importante nas duas formas é evitar o contato com o agente que está provocando a dermatite. O uso de luvas de silicone e de vinil são indicadas no caso de dermatite de contato das mãos. Nas crises podem ser necessárias cremes e pomadas anti-inflamatórias além de hidratantes dermatológicos.

Prevenção de dermatites

Já que a maioria das dermatites não possuem cura, a melhor maneira de tratá-las é não deixar que elas se manifestam. Logo, tome cuidado com a pele no inverno, pois é quando ela apresenta maior grau de ressecamento. Evite banhos quentes, pois tiram a oleosidade natural da pele e favorecem o ressecamento e a descamação. Não esfregue o rosto ao limpá-lo, pois pode machucar a pele.

Consulte sempre seu dermatologistas para orientá-lo como cuidar da sua pele.

A prevenção é a melhor solução, pois a pele é o que temos de mais sagrado e devemos protegê-la sempre. Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como dermatologista em São Paulo e Belo Horizonte!

Por: Dra. Ana Paula Coelho

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *