Hanseníase: diagnóstico e tratamento

A hanseníase é uma das mais antigas doenças das quais há registro de ocorrência. Só para se ter uma ideia, a condição, que é popularmente conhecida como lepra, teve o primeiro caso registrado no ano de 600 a.C.

Resumidamente, a hanseníase é uma doença de origem infecciosa, causada pelo mycobacterium leprae, bacilo que justifica o fato de ser conhecida como lepra. A condição é contagiosa (ou seja, passa de um indivíduo contaminado para outro) e não é hereditária.

A evolução da doença também varia muito no organismo de cada paciente, a depender das particularidades do sistema imunológico de cada um.

Em nosso artigo, conheça mais sobre o diagnóstico e métodos de tratamento da lepra.

Como é realizado o diagnóstico de hanseníase?

A hanseníase é uma doença grave, que pode atingir os nervos periféricos e a pele do paciente, levando até mesmo à incapacidade física.

Apesar de ser uma das mais antigas doenças das quais se tem conhecimento, o tratamento e a cura dela são efetuados apenas há pouco mais de 20 anos.

O diagnóstico, por sua vez, é realizado após a manifestação de um ou mais sintomas da doença – o que ressalta a importância da investigação.

São possíveis sintomas da lepra:

  • sensação constante de fisgadas, formigamento ou dormência nas partes mais “extremas” do corpo;
  • manchas avermelhadas ou brancas em qualquer região do corpo;
  • perda de sensibilidade a frio, calor, tato ou dor;
  • áreas do corpo que aparentam normais, porém apresentam alteração no suor ou na sensibilidade;
  • placas ou caroços em qualquer lugar do corpo;
  • diminuição na força dos músculos (o que pode acarretar até mesmo dificuldade para realizar atividades do dia a dia, tais como segurar objetos, por exemplo).

Vale ainda o destaque de que essa é uma doença de investigação obrigatória em todo o território brasileiro.

Além disso, tem notificação compulsória – o que significa que qualquer caso da doença (diagnosticado por SUS, planos de saúde ou consultas particulares) deve ser notificado ao Sistema de Informação de Agravos. O objetivo desse monitoramento é evitar a

proliferação excessiva e surtos incontroláveis da doença, uma vez que ela é contagiosa e de caráter grave.

Há tratamento/cura para a doença?

Sim. Por ser uma doença infecciosa e causada por uma bactéria, o tratamento de lepra é realizado por meio de medicamentos (via oral).

A cura, por sua vez, promete ser mais rápida e simples quando o diagnóstico é precoce.

Basicamente, o tratamento consiste na ingestão de 2 ou 3 diferentes tipos de remédios (associados um ao outro). Esse conjunto de medicamentos é conhecido como “poliquimioterapia”.

Agora você já conhece mais sobre a hanseníase, assim como sobre o diagnóstico e os métodos de tratamento.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como dermatologista em São Paulo e Belo Horizonte!

Por: Dra. Ana Paula Coelho

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *