Os 5 melhores tratamentos para acne

Basta surgir a primeira acne para aparecerem inúmeros conselhos sobre como tratá-la. Como grande parte não produz o efeito desejado, é importante buscar um dermatologista para identificar as causas do problema e se informar sobre os tratamentos mais indicados.

Como qualquer outra enfermidade, há diversos tipos de estágios da acne, sendo importante começar a cuidar dela logo nos primeiros sinais, com um tratamento para controlar a evolução do problema e evitar cicatrizes.

Como surge a acne

A acne é mais comum na adolescência, período em que há um aumento significativo dos hormônios sexuais, os quais estimulam a produção excessiva do sebo. Acumulado sobre a pele, ele acaba formando cravos e, consequentemente, acne.

A formação da acne começa quando há obstrução no folículo piloso devido ao acúmulo de sebo. O folículo piloso é responsável pela produção de pelos, e o sebo, por manter o pêlo e a pele hidratada. Quando o excesso de sebo se une às células mortas do local, ocorre a formação do que se chama de comedão.

As bactérias presentes na região superficial da pele acabam penetrando nesses folículos pilosos obstruídos, para se alimentar da gordura presente no sebo. Esses micro-organismos provocam infecção no cravo formado, que se transforma numa espinha envolvida com comedões e pus.

Logo, qualquer alteração hormonal pode avançar para o surgimento de cravos, espinhas e acnes severas. Inclusive gravidez, ovários policísticos e período pré-menstrual são alguns dos motivos que estimulam o surgimento desses problemas. Pacientes que possuem a pele oleosa também possuem maior predisposição para acne devido ao excesso de produção de sebo.

Como tratar a acne

Não faltam sugestões exóticas para se combater a acne, e, naturalmente, elas são ineficientes. Não há milagres, mas é possível eliminar as feridas e lesões deixadas pelo problema, proporcionando uma pele macia e lisa com o tratamento adequado.

1 – Medicamentos

A prescrição de medicamentos tende a ser a primeira iniciativa do dermatologista. Eles visam regular os hormônios e a oleosidade da pele, ajudando a liberar os folículos obstruídos. Um deles é o ácido chamado tretinoína, que age dentro dos folículos para controlar o acúmulo e produção de sebo.

O peróxido de benzoíla combate os micro-organismos que causam a acne e também possui ação queratolítica. Já o ácido azelaico tem ação anti-inflamatória tópica e ajuda a clarear as manchas escuras deixadas pela acne. A clindamicina e a eritromicina  são opções de antibióticos tópicos para o tratamento da acne inflamatória.

Também pode ser indicado o uso de antibióticos orais como derivados da tetraciclina para combater casos de acne com lesões inflamatórias e com pus. Para mulheres, muitas vezes é indicado o uso de anticoncepcionais orais ou medicações anti-androgênicas. O uso de isotretinoína oral é indicada para os casos de acne grave e refratária.

2 – Peeling

Usado para peles com acne superficial e inflamatória, obtém ótimos resultados, inclusive para clareamento das manchas. Os peelings são utilizados com ação secativa, esfoliativa promovendo renovação celular. Contribui para a produção de colágeno, proporcionando também mais elasticidade e melhora das cicatrizes superficiais.

3– Limpeza de Pele

É indicada para remoção e extração de cravos, impurezas, células mortas e milium da pele, que se caracteriza pelo aparecimento de pequenas bolinhas brancas ou amareladas. Além disso, promove esfoliação celular desobstruindo os poros e consequentemente melhorando a capacidade de absorção e oxigenação da pele.

4 – Alimentação

A alimentação influencia diretamente na formação ou na diminuição da acne. Valorizar alimentos ricos em nutrientes e com pouca gordura animal ajuda a equilibrar a produção de sebo. Alimentos e suplementos com vitamina A combatem o acúmulo de células mortas.  Os complexos de vitamina B em excesso podem estimular o surgimento de lesões de acne inflamatória. Alimentos com alto teor de açúcar e derivados do leite também são indutores de acne.

5 – Filtro solar

O uso de protetor solar durante o tratamento da acne é indispensável. Ajuda a proteger a pele das manchas e marcas deixadas pelas lesões inflamatórias e profundas. Além disso, durante os diversos tratamentos para acne a pele se torna mais sensível, vermelha e susceptível aos danos causados pela radiação ultravioleta. Hoje em dia, não é mais desculpa deixar de usar o protetor solar por deixar a pele oleosa. Existe uma diversidade muito grande de filtro solar no mercado, um específico para cada tipo de pele. Portanto, para pele oleosa e acneica existem protetores solares secos, que ajudam no controle da oleosidade durante o dia e com efeito matte removendo o excesso de brilho da pele.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como dermatologista em São Paulo e Belo Horizonte.

Por: Dra. Ana Paula Coelho

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *