Os 8 melhores tratamentos de estrias

Não vá pensando que estrias são um problema exclusivamente feminino. Não é verdade. Estas marcas provocadas pelo rompimento das fibras da pele são comuns também em homens! Formadas por colágeno e elastina, estas fibras deixam a pele mais lisa e com aparência mais jovial. Quando rompidas, deixam manchas e até ajudam a tornar a aparência mais velha e cansada.

As estrias se dividem em dois subtipos principais: as rubras ( mais iniciais e avermelhadas) e as brancas ( cicatriciais). As lesões iniciais, ou estrias rubras, possuem uma melhor resposta e prognóstico aos tratamentos disponíveis, uma vez que possuem um componente inflamatório predominante e ainda não são consideradas cicatrizes.

Contudo, existem oito tratamentos que podem ajudar a você, homem ou mulher, a tratar das suas estrias. Confira!

Os 8 melhores tratamentos de estrias:

1-ÁCIDOS

Calma, você não derreterá a sua pele. O ácido ascórbico, ácido glicólico e o ácido retinoico são os mais utilizados. Podem ser aplicados pela própria pessoa, melhorando e estimulando a produção de colágeno, reorganizando as fibras e diminuindo o comprimento e a largura destes rompimentos.

Geralmente, para que a pele não fique um tanto irritada, o que seria normal em função dos efeitos do ácido, é recomendável que o paciente utilize um hidratante após o banho ou pela manhã. Outra opção é revezar o uso do ácido com algum hidratante tópico.

O uso de filtro solar e evitar a exposição ao sol é fundamental durante esse tratamento, uma vez que a pele ficará mais fina e sensível.

Apenas a vitamina C pode ser utilizada topicamente nas estrias durante a gravidez.

2-PEELING

O peeling químico nada mais é do que aplicar de maneira mais concentrada o ácido no local das estrias. Porém, tal procedimento somente deve ser realizado nos consultórios de dermatologia. O ácido permanece na pele do paciente por um período determinado por seu dermatologista, geralmente de 6 a 12 horas, sendo depois retirado pelo próprio paciente durante o banho.

O Peeling é um tratamento semelhante ao praticado em casa com os ácidos já descritos, porém, sob os cuidados de um médico. Como são utilizadas concentrações mais altas seus resultados podem ser mais satisfatórios que o uso de ácidos domiciliares . Para que surte mais efeito, o médico poderá combiná-lo com outros procedimentos que promovem uma abrasão superficial da pele, como peeling de cristal ou diamante, o que estimula a produção de colágeno através da esfoliação e facilita a penetração dos ácidos.

Os peelings são tratamentos interessantes para as estrias, entretanto possuem resultados limitados, uma vez que atuam superficialmente no estímulo do colágeno comparando com outras técnicas.

3-SUBCISÃO

Consiste na inserção de agulhas nas estrias, a fim de romper a fibrose que retrai a pele. Os movimentos são cautelosos e suaves, para não provocar muitos hematomas locais, mas geralmente um pouco de hematoma sempre acontece. O movimento sutil realizado pelo especialista faz com que o tecido se reorganize e os rompimentos sejam eliminados aos poucos.

Contudo, esta técnica não dispensa outras ações e tratamentos em conjunto, como peelings e lasers para melhoria da superfície da pele e clareamento dos hematomas formados.

4-INTRADERMOTERAPIA

Tratamento voltado para estrias mais profundas, que consiste na aplicação de injeção nos locais acometidos, para provocar uma reação do organismo, o que aumenta a produção de colágeno nas áreas onde as fibras sofreram desgaste. As aplicações ocorrem de 10 a 12 sessões semanais e podem ser associadas a outros procedimentos.

5-LUZ INTENSA PULSADA

Tecnologia indicada para o tratamento do componente inflamatório e vascular das estrias rubras. Além de melhorar os vazinhos, a coloração vermelha-arroxeada das estrias, promove um estímulo do colágeno no local o que provoca uma contração e redução do diâmetro dessas lesões. A luz intensa pulsada pode ser associada à outras técnicas o que potencializa os resultados obtidos.

6- LASERS

Várias são as opções de lasers no mercado que são capazes de estimular o remodelamento do colágeno e melhorar o aspecto das estrias. O laser fracionado ablativo de CO2 continua sendo um dos mais indicados. Como seu alvo de ação é a molécula de água na pele, o seu aquecimento promove contração da pele e síntese de um novo colágeno no local. Entretanto, pode provocar manchas escuras durante o processo de cicatrização, principalmente em pacientes com fototipo mais alto. Um preparo prévio da pele e orientação adequada do paciente são sempre indicados nesses casos. Outras opções de lasers fracionados não-ablativos são interessantes para pacientes com maior risco de manchar a pele, pacientes com peles mais escuras ou que desejam uma recuperação mais rápida.

7- IPCA® OU MICROAGULHAMENTO CIRÚRGICO

Essa técnica utiliza um aparelho manual, rolo com várias microagulhas, e é aplicado na pele em movimentos de vai-e-vém e em diversas direções. Para uma injúria profunda e estímulo mais profundo do colágeno é necessário utilizar rolos com agulhas de 2 a 2,5mm de comprimento. Para que esse procedimento seja indolor para o paciente é feita anestesia tópica e infiltrativa. Portanto, trata-se de um procedimento cirúrgico e com técnicas assépticas.

Existem aparelhos que associam o microagulhamento com a radiofrequência, dessa forma além do papel das agulhas que gera um remodelamento do colágeno, o aquecimento promovido pela radiofrequência potencializa esse resultado.

8- MICROINFUSÃO DE MEDICAMENTOS NA PELE – MMP®

Técnica nova, patenteada e de uso exclusivo para dermatologistas da Sociedade Brasileira de Dermatologia, em que se utiliza um aparelho que promove um microagulhamento e a microinfusão de medicamentos na pele. Dessa forma, há uma associação do estímulo de colágeno pelas agulhas e de medicações que vão atuar na síntese e remodelamento do novo colágeno na pele.

Quer saber mais? Entre em contato comigo! Quem sabe não posso te ajudar?  Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como dermatologista em São Paulo e Belo Horizonte!

Por: Dra. Ana Paula Coelho

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *