Para que serve a toxina botulínica, ou popularmente conhecido como “botox”?

Um dos mais famosos e utilizados métodos de tratamento contra o envelhecimento, é a aplicação da toxina botulínica, popularmente conhecida como “botox”, para o tratamento de rugas e marcas de expressão. É considerado hoje o tratamento estético mais realizado no mundo.

Como é feita a toxina botulínica?

A toxina botulínica é uma neurotoxina produzida pela bactéria Clostridium botulinum. A ciência identificou na capacidade paralisante dessa substância uma forma de utilizá-la positivamente para fins terapêuticos.

A acetilcolina é o neurotransmissor responsável por transmitir o estímulo nervoso para a contração muscular. O efeito da toxina botulínica é bloquear a liberação de acetilcolina na placa motora fazendo com que haja um relaxamento muscular na região. Dessa forma, a toxina pode ser ministrada em baixas concentrações para paralisar os músculos que se deseja tratar.

O uso estético da toxina botulínica vem sendo um sucesso, e cada vez é maior o número de homens e mulheres adeptos ao “botox”. Ao ser aplicada nos músculos responsáveis pelas rugas faciais, a toxina proporciona uma  expressão facial mais leve e  suavização das rugas.

As aplicações do “botox”

O excesso de tensão de alguns músculos da face causa linhas de expressão e rugas que vão aumentando com a perda da elasticidade da pele. Aplicada em pequenas doses, por meio de injeções superficiais, a toxina botulínica paralisa esses músculos. Com a musculatura relaxada, as linhas e rugas suavizam ou mesmo desaparecem.

A toxina botulínica ajuda a minimizar os “pés de galinha”, as linhas horizontais da testa e  ameniza a famosa”cara de brava”. É um dos tratamentos indicados para suavizar as linhas verticais acima do lábio superior denominadas “código de barras” e as ruguinhas do queixo. Com a toxina botulínica pode-se tratar também o sorriso gengival, as rugas do pescoço e do colo, além de melhorar o contorno facial com a técnica nefertiti.

A aplicação do “botox” é um procedimento simples, sem necessidade de anestesia ou em alguns casos pode ser feita anestesia tópica e vibratória, além da crioterapia para amenizar o desconforto das injeções. Esse procedimento tem uma duração média de três a seis meses. Entretanto,  essa durabilidade pode variar de acordo com características individuais do paciente. A prática de atividade física aeróbica, uso de medicações que aceleram o metabolismo corporal e emagrecimento podem acelerar a metabolização do medicamento reduzindo a paralisia dos músculos tratados. Para manutenção dos resultados a toxina deve ser reaplicada com intervalo de quatro a seis meses.

Além dos efeitos estéticos, o botox pode ser aplicado nas mãos e axilas, para bloquear o estímulo do suor, ajudando a combater temporariamente a sudorese. Também controla o bruxismo, pode ser utilizada para correção do estrabismo ocular, paralisia facial, para o tratamento da enxaqueca,no combate a dor lombar crônica e alguns casos de paralisia espástica.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como dermatologista em São Paulo e Belo Horizonte.

Por: Dra. Ana Paula Coelho

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *