Rosácea: sintomas, causas e tratamento

A rosácea é uma doença cutânea muito comum. Só para se ter uma ideia, mais de 2 milhões de brasileiros são diagnosticados com esse problema todos os anos. A rosácea pode ser do tipo eritemato telangectasia, pápula pustulosa, fimatosa, ocular ou granulomatosa.

Caracterizada por vermelhidão e inflamação, especialmente no nariz, testa, queixo e bochechas, a rosácea pode se agravar com o tempo, tornando-se mais aparente e duradoura.

Por afetar diretamente a estética da pessoa, essa doença de pele traz sérios impactos para a autoestima, sendo assim, é algo que merece atenção e tratamento. Pensando nisso, preparei um texto esclarecedor sobre o assunto. Vem conferir!

Quais são as causas da rosácea?

A rosácea pode ser causada por razões hereditárias e ambientais que elevam o fluxo sanguíneo na superfície da pele. Fatores como o consumo de álcool, exposição a temperaturas extremas, prática de exercício extenuante, saunas e banhos quentes, ingestão de alimentos picantes, uso de medicamentos vasodilatadores e corticosteroides podem desencadear o aparecimento de rosácea.

Vale destacar que o problema é mais frequente em pessoas de pele, olhos e cabelos claros, entre 30 e 50 anos de idade, com histórico familiar de rosácea. Ambos os sexos podem ser atingidos, mas a ocorrência maior se dá nas mulheres.

Vale destacar que, embora seja mais incomum nos homens, os sintomas são mais intensos no caso deles.

Quais são os principais sintomas?

Como já mencionado no começo, o principal sintoma da rosácea é a vermelhidão na face. Isso ocorre porque os vasos sanguíneos no nariz, queixo, testa e bochechas incham e ficam mais visíveis. São notadas também protuberâncias parecidas com acne, secura ocular, irritação, pálpebras avermelhadas, alargamento do nariz e espessamento na pele.

E o tratamento?

O primeiro passo para tratar a rosácea é buscar auxílio dermatológico para identificar se realmente você tem rosácea e qual é o tipo. Se perceber vermelhidão persistente na face, não hesite em procurar um especialista, a fim de obter um diagnóstico preciso e descobrir qual é o melhor tratamento para o seu caso.

A rosácea é um problema cutâneo sem cura, mas o tratamento correto pode controlar os sintomas, melhorar a aparência da pele e impedir que a doença se agrave. Geralmente, a doença é tratada por meio de produtos tópicos, com ativos como ácido azelaico, metronidazol retinoides, brimonidina, oximetozolina e peroxido de benzoila na composição. Essas substâncias ajudam a diminuir a inflamação e, consequentemente, a vermelhidão na pele.

Eventualmente, pode ser necessário usar antibióticos e anti-inflamatórios para o controle clínico da doença. O dermatologista também pode indicar o uso de laser e luz pulsada para suavizar a aparência dos vasos sanguíneos e clarear a região.

Quer saber mais sobre rosácea? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho comodermatologista em São Paulo e Belo Horizonte!

Por: Dra. Ana Paula Coelho

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *