Você sabe, ao certo, o que é o melasma?

Quando surgem manchas em tons marrons no rosto, muita gente entra em pânico, por medo de ser algo grave ou irremediável. Mas muitas vezes trata-se do melasma, relativamente comum em mulheres a partir dos 20 anos, devido principalmente à influência dos hormônios sexuais femininos e  à exposição solar prévia sem proteção.

A doença é considerada crônica e pode ressurgir após uma fase de melhora. Ela não tem cura, mas pode ser controlada com o tratamento adequado.

Causas do Melasma

O melasma se apresenta principalmente na região facial, em especial na maçã do rosto e na testa, com tonalidades marrons que vão de claras até bem escuras. São lesões geralmente simétricas, com contornos irregulares e muitas vezes com formatos geométricos. Mais raramente podem acometer regiões extra-faciais. Essas manchas podem ser superficiais, profundas ou mais frequentemente mistas.

A causa do surgimento do melasma ainda é desconhecida, mas há uma associação de fatores de risco que ajudam a desencadear o processo. O primeiro deles é a exposição ao sol e ao calor, que ajuda a multiplicar os melanócitos na pele. Por isso, é mais comum o surgimento ou piora do melasma  no verão. Mas atenção: a exposição solar nos pés já é capaz de estimular os melanócitos da face, portanto, não adianta proteger o rosto e bronzear o restante do corpo se você tem melasma.

Sabe-se que os hormônios femininos estimulam os melanócitos da pele, por isso o melasma é muito mais frequente em mulheres do que em homens.  A gravidez e o uso crônico de anticoncepcionais são capazes de desencadear essas manchas.

Outros fatores como histórico familiar, uso de antidepressivos e o estresse também podem estar associados a essa doença.

Tratamento do melasma

Quanto mais antiga e profunda a mancha, mais lenta e difícil será a resposta do melasma aos diversos tratamentos. Sabe-se também que o uso correto do filtro solar é crucial para esse resultado, sendo necessário reaplicá-lo a cada 3 horas.

Os tratamentos variam desde o uso de cremes clareadores até a realização de peelings, microagulhamento,  MMP® com microinfusão na pele de substâncias clareadoras e lasers específicos se houver acometimento da derme. Cada paciente é único e responde melhor a uma determinada técnica. Além disso, a associação de técnicas é sempre bem vinda.

Cremes compostos de hidroquinona, ácidos glicólicos e retinoicos causam um ótimo resultado. Mas é fundamental que, durante o tratamento, não haja exposição ao sol e acompanhamento do dermatologista.

A prevenção contra o melasma é evitar ser vulnerável as fatores de risco, inclusive usando filtro solar sempre. O uso de protetor solar oral durante o verão ajuda a amenizar a piora dessas manchas que naturalmente ocorre no verão. Como não se sabe a causa do melasma de forma convicta, mesmo com o uso constante do bloqueador solar, essas manchas podem surgir, e é importante se iniciar o tratamento logo no início, para controlar sua evolução.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como dermatologista em São Paulo e Belo Horizonte.

Por: Dra. Ana Paula Coelho

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *